Facebook Share


  • Departamento

  • Temática
  • Formato

  • Palavras-Chave
  • *(separated by commas, maximum of 100 characters)



  • Opinião

    Biobanco-IMM e a investigação translacional


    O sucesso do Biobanco-IMM é promovido pelo contínuo aumento de parcerias e colaborações não só com empresas de biotecnologia e unidades de saúde, mas também com institutos de investigação científica e investigadores académicos de ciências básicas, como os investigadores da FCUL.

    02/12/2013

    O Biobanco-IMM do Centro Académico de Medicina de Lisboa (CAML) é uma infraestrutura que tem como principal objetivo promover e facilitar a investigação translacional e clínica que poderá conduzir à identificação de novos alvos terapêuticos, bem como ao desenvolvimento de novos testes de diagnóstico e prognóstico.

    Esta infraestrutura coleciona uma ampla variedade de amostras biológicas humanas de elevada qualidade, associadas a informação clínica detalhada, e promove a sua utilização para fins de investigação biomédica de acordo com critérios científicos e éticos.

    O Biobanco-IMM pretende posicionar-se como um importante membro da Rede Europeia de Biobancos nos próximos cinco anos, oferecendo assim excelentes oportunidades para reforçar a relevância à escala internacional da investigação biomédica realizada em Portugal.

    Estas colaborações internacionais possibilitaram já a rápida utilização em diversos projetos de investigação das amostras armazenadas, alguns deles já publicados em revistas internacionais.

    O Biobanco-IMM tem uma equipa de oito profissionais com uma formação em biologia e medicina que contribuem para o desenvolvimento de diferentes áreas, nomeadamente na implementação de culturas de células primárias e iPS, bem como em protocolos de imortalização celular.

    O Biobanco-IMM conta também com o apoio de outros profissionais, incluindo médicos, enfermeiros e técnicos de análises clínicas. Neste momento, estão já armazenadas amostras de mais de 7000 dadores inseridas em 20 coleções com diferentes tipos de materiais biológicos.

    Esta participação ativa na investigação translacional, realizada quer por investigadores médicos quer por investigadores de ciência básica, contribui para o desenvolvimento da investigação realizada no nosso País e consequentemente para a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, ganhando em última análise impacto a nível social.

    O sucesso do Biobanco-IMM é promovido pelo contínuo aumento de parcerias e colaborações não só com empresas de biotecnologia e unidades de saúde, mas também com institutos de investigação científica e investigadores académicos de ciências básicas, como os investigadores da FCUL.
     

    Nota da redação
    Rita Cascão é alumni da FCUL em Biologia ramo de Microbiologia e Genética e doutorada em Ciências Biomédicas/Imunologia. Neste momento, atua na área do desenvolvimento e manutenção de cultura celular no Biobanco-IMM.

    B-IMM


    Assinatura
    Rita Cascão, investigadora do Biobanco – IMM do CAML

    Tags
    Biobanco-IMM, Centro Académico de Medicina de Lisboa, opinião





    Rita Cascão

    Fonte: Cedida pelo B-IMM 
    Legenda: Rita Cascão


    News
    28.10.2014

    Entrevista com Margarida Amaral
    “Para avançar é necessário inovar!”
    more »


    27.10.2014

    A gfi vai sponsorizar a disciplina de Introdução à Inteligência Artificial do 3º ano da licenciatura em Eng. Informática.
    more »


    27.10.2014

    Prata na Maratona Inter-Universitária
    more »





    Events

    Out
    30

    Arte & Ciência no Museu
    more »


    Out
    30

    CFCUL - Colóquio Internacional "The Philosophers and Mathematics"
    more »


    Out
    30

    Predictability in Stochastic Processes
    more »


    Out
    31

    À conversa com o Prof. Fernando Catarino
    more »


    Nov
    01

    Workshop de Ilustração Científica
    more »